Congressista americano compara discurso de Donald Trump com o wrestling profissional; Lutadores se revoltam

Diego 05/02/2020

Na noite de ontem (04), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez mais um discurso sobre o Estado da União, que nada mais é que uma espécie de relatório apresentado anualmente pelo Presidente do país aos congressistas para mostrar a situação atual do país e também apresentar propostas legislativas. A cerimônia foi transmitida ao vivo para todo o país.

No entanto, como era de esperar, o discurso não agradou aos rivais de Trump, os democratas. O deputado democrata pelo estado de Ohio, Tim Ryan, externou sua insatisfação, fazendo uma comparação do discurso de Donald Trump ao professional wrestling em sua conta oficial do Twitter.

“Acabei de sair do #StateOfTheUnion. Eu já aguentei o suficiente. É como assistir professional wrestling. É tudo falso”, declarou o congressista americano.

A noite também foi marcada por momentos de alta tensão, como quando o presidente Donald Trump parecia se recusar a apertar a mão da líder do congresso, Nancy Pelosi, e mais tarde, no final da noite, quando Pelosi em um momento de quebra de decoro, rasgou a cópia do discurso de Trump. Também foi noticiado pelo New York Post que vários deputados democratas deixaram o congresso antes do fim do discurso.

A declaração de Tim Ryan não agradou nem um pouco a vários lutadores e personalidades da indústria, que rapidamente prepararam uma resposta para as declarações do político.

O membro do Hall da Fama da WWE e lendário comentarista, Jim Ross, foi uma das personalidades que detonaram a mensagem escrita pelo representante político no Twitter.

“Como muitos de seus colegas políticos profissionais, essa afirmação é desaconselhável e ignorante. Não coloque minha profissão na sua. Sua ‘profissão’ tornou-se embaraçosa nos dois lados do seu amado corredor. Servidores públicos? Isso é ridículo”, disse o comentarista da AEW.

Gail Kim, Paige, Dolph Ziggler e Drake Maverick também se pronunciaram. A ex-Impact Wrestling disse que o wrestling não era falso mas Trump sim, a quem chamou de imprevisível e falso. Já Paige pediu para que Ryan deixasse a modalidade fora do assunto. Dolph Ziggler declarou que “via muitas semelhanças entre os trabalhos que tão apaixonadamente fazemos”.

“Nós não somos falsos. TRUMP é. Não merecemos ser incluídos na categoria dele. TRUMP = imprevisível e falso. WRESTLING = predeterminado e fisicamente REAL. Nós somos a fuga desta realidade”, afirmou Kim.

“Você deixa o wrestling fora disso!!”, exclamou a apresentadora do WWE Backstage.

“Como fã de wrestling profissional, política e congressista Ryan, vejo muitas semelhanças entre os trabalhos que tão apaixonadamente fazemos …
tal como; só é real quando vencemos”
, disse Ziggler.

O mais incisivo de todos foi Drake Maverick, que lançou uma indireta ao político afirmando que ele era falso constantemente para conseguir o que desejava em sua vida. Ele também fez menção ao mundo cinematográfico, que utiliza dublês em cenas de alto risco. Por fim, ele disse que defenderá sua indústria até não poder respirar novamente.

“Você é “falso” constantemente para conseguir o que deseja da vida”, afirmou Drake Maverick.

“Estou ansioso para você ir ao cinema e curtir a apresentação falsa na sua frente. Você conhece os atores que são substituídos por dublês? É tudo falso mano. Ou isso é ‘diferente’?”, continuou Maverick.

“Vou defender minha indústria até não poder respirar novamente. Isso me deu uma boa vida. Isso também significa que as pessoas antes de mim sacrificaram seus corpos para que eu tivesse uma vida boa. Eles, meus colegas e eu não devemos ser desrespeitados e rotulados como “falsos” pelos não instruídos enquanto “atores” são celebrados”, complementou o ex-WWE 24/7 Champion.

Tim Ryan foi um dos três congressistas democratas que deixaram o congresso antes do fim do discurso de Trump. Bill Pascrell, deputado pelo estado de Nova Jersey, e Seth Moulton, ex-marinheiro que também ocupa a cadeira de deputado pelo estado de Massachusetts, foram os outros dois a deixarem o local antes da hora.

Bill Pascrell foi um dos mais expressivos, declarando no Twitter que não suportava um mentiroso e que a presidência de Trump era uma “tragédia nacional”.