O retrocesso da WWE

Fabrício Quadros 01/03/2020
Resultado de imagem para WWE Stanford

Bom dia caros leitores do House of Wrestling, como vão vocês? chegamos a mais uma edição do nosso “Weekly View”, porém, hoje não haverá nada de resumo, visto o título acima.

Decidi por trazer algo diferente, e o nosso título já gera talvez essa dúvida na cabeça de muitos. Outrora deveria trazer minha modesta opinião sobre o que achei sobre o WWE Super ShowDown, entretanto, confesso que foi abaixo do que eu ao menos esperava.

Resultado de imagem para Vince  McMahon Money

Sim, um retrocesso, isso que nomeio, não em questões lucrativas é óbvio, uma vez que ao longo dos anos o “Chairman” Vince McMahon, fica ainda mais bilionário. Toco no ponto relativo ao booking que há anos tem sido bem abaixo para a magnitude da WWE.

A palavra retrocesso tem diferentes significados, é algo que volta ao passado, estranho não? o passado da WWE é maravilhoso, porém, eu volto desde lá de trás, quando a WWE ainda estava em desenvolvimento, quando a empresa ainda era conhecida como “Capitol Wrestling Corporation” sob controle de Jess McMahon e Toots Mondt, o ano em si, 1946.

Resultado de imagem para WWE

A palavra “entretenimento” faz parte do nome e da história, em tese é isso que a WWE quer proporcionar ao público, todavia, vemos a empresa a mercê de investimentos, de lucros pessoais, do pensar só na questão lucrativa, talvez, foi esse o real sentido a vida toda.

Até tornar-te este monopólio gigantesco vimos um desenvolvimento absurdo de excepcionais storylines, feuds, matches e, magnifico markenting. Ainda questiono o quão a WWE deixa tudo previsível, ou deixa “vazar” facilmente as informações de seus bookings.

Através de seus “Breaking News” o jornalista Dave Meltzer, influente no mundo do Wrestling revela rivalidades e combates futuros da “gigante de Stanford” sem pestanejar, porém, não podemos julga-lo ou qualquer outro jornalista, embora seja este o trabalho deles, todavia, não questiono a forma eficaz pela qual é revelada essas informações e sim novamente como são “vazadas” facilmente.

Resultado de imagem para Goldberg vs Fiend Bray Wyatt

Vimos na quinta-feira no Super ShowDown, no qual, foi realizado na Arábia Saudita, inclusive mais um evento com fins fins lucrativos como já citei, entretanto, não passam de Houses Shows ou Live Events com grifes, como você quiser chamar, visto, o card que foi planejado.

Os part-timers, Brock Lesnar e Goldberg, obtiveram suas vitórias em combates rápidos, com “minutos duradouros” nas duas disputas pelos dois títulos principais da companhia (WWE Title e Universal Title). Este último incontestável, não apenas pelo personagem e, sim pela forma que este o venceu o combate sobre um ótimo personagem que é “The Fiend” Bray Wyatt e, que vem sendo forjado a muito tempo com suas storylines de extrema relevância.

Resultado de imagem para WWE e crowd

Como mencionei antes, a WWE virou uma fonte de negócio e um capitalismo a muito tempo, não importa a quantia de vaias que irão receber a cada show ou pay-per-view, não importa qual seja a storyline, a ideia é sempre a mesma, pender a favor dos negócios com fundos financeiros a encher ainda mais os bolsos do sr. McMahon.

O que ainda resta para a WWE? não perder seus fãs fieis, inclusive eu particularmente, que sinceramente tento, todavia, não consigo por enquanto, assistir outra empresa. A AEW logo fará sombra e, possivelmente em um futuro próximo pode ser a “pedra no sapato” da WWE, devido ao pouco tempo seu crescimento batendo até mesmo em pico de audiência o território de desenvolvimento da WWE, vulgo, NXT. Será que Vince McMahon, está pensando nisso ou está a pensar apenas em lucrar?

Estarei postando como de praxe as perguntas abaixo, e despeço-me aqui desejando um ótimo início de semana a todos vocês.

See you soon, guys.

  • O que pensa sobre este “retrocesso” da WWE?
  • O que mudaria no que está sendo feito atualmente?
  • Qual sua opinião sobre o destaque dado a part-timers?